quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

De volta ao primeiro amor

Apocalipse 2.1-7
Éfeso era a principal cidade da província chamada Ásia Menor (hoje é a região da Turquia).
Em Éfeso estava construído o templo de Diana ou Ártemis, deusa da fertilidade para os efésios. Esse templo era totalmente em mármore branco e considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo.
No templo havia milhares de sacerdotes e sacerdotisas, prostitutos cultuais. Em Éfeso imperava: prostituição, idolatria e ocultismo e no meio desse cenário aparentemente nada promissor, Paulo enxergou uma oportunidade de iniciar uma Igreja de Cristo (At 19).
A igreja de Éfeso era muito acolhedora e trabalhadora. Na época de Paulo foi considerada a igreja do amor fraternal, por causa de sua preocupação com os irmãos em Cristo e os que iam chegando à fé.
É sobre essa mesma igreja que, anos mais tarde, o Senhor Jesus faz esta declaração em Apocalipse através do Apóstolo João. Pelo texto, percebemos que a igreja continuava trabalhando, porém havia perdido sua principal característica, o amor fraternal.
Estas são as palavras daquele que tem as sete estrelas em sua mão direita e anda entre os sete candelabros de ouro
As sete estrelas são os “anjos das sete igrejas”, em nosso entendimento, esses anjos são os pastores.
Já os sete candelabros ou castiçais são as sete igrejas. Os candelabros serviam para iluminar, da mesma forma esta é a função das igrejas.
Jesus anda entre as igrejas e analisa cada uma de suas obras. Ele é o responsável por corrigir sua Igreja e/ou responsabilizar seus líderes.
Conheço as suas obras...
Jesus conhece suas igrejas melhor que seus membros e seus pastores.

Características da igreja de Éfeso
1- Trabalho árduo
2- Perseverança/constância
3- Disciplina
4- Guardava a pureza da fé
5- Não tolerava homens maus
6-Era apologeta (defendia-se das heresias)

Dentre todas essas características destacadas, talvez as que mais tenham contribuído para o abandono do amor fraternal tenham sido: trabalho árduo e o combate às heresias.
“Será que esses crentes passaram a dedicar-se tanto a combater erros, falsos profetas e falsas doutrinas que, aos poucos, acabaram se distanciando do amor e da graça, a ponto de o amor cristão nos relacionamentos ir se perdendo?” (Comentário da Bíblia Conselheira).
“A igreja vai deixar de existir se continuar assim: privilegiando o trabalho árduo, o combate ao erro e abandonar o amor” (Comentário adaptado da Bíblia Conselheira).
Jesus exorta a igreja de Éfeso a rever suas prioridades. E hoje ele exorta você, membro da Igreja de Cristo, a rever suas prioridades.

Como posso saber se o meu amor esfriou? 
1- Quando meu interior não condiz com o meu exterior (história da família que volta de uma viagem de férias e encontra sua casa (exteriormente) do jeitinho que fora deixada. Ao abrir a porta e pisar no assoalho a casa foi ao chão, pois os cupins haviam-na destruído).
2- Quando não possuo mais temor ao pecar em coisas consideradas insignificantes (Davi APENAS deu uma olhadela para Bate-Seba / Acã pegou APENAS uma roupa e um pouquinho de dinheiro dos despojos / Adão comeu APENAS uma frutinha insignificante).
3- Quando não tenho mais saudades da comunhão com os irmãos em Cristo (A pessoa passa a semana inteira voltada para si e suas responsabilidades e quando chega o dia de se encontrar com seus irmãos no PG ou no domingo estão esgotados e isto não lhes faz a menor falta).
4- Quando as antigas práticas começam a fazer parte de minha vida cristã (Coisas que foram abandonadas no momento da conversão voltam a fazer parte da vida do crente).
5- Quando a vida de adoração / oração diária já não tem mais lugar em minha vida.
6- Quando não mais me esforço para levar meu próximo a Cristo.
7- Quando só sei criticar e reclamar de tudo e de todos ao meu redor.

Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor. Lembre-se de onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio. Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele”.
O convite do Senhor para você hoje é: ARREPENDA-SE!
Arrependimento: No grego é metanoia, mudança de mente. O termo expressa uma mudança de atitude radical. Para haver arrependimento precisa, primeiramente, ter consciência do erro; em seguida, sentir uma profunda tristeza; e, por último, uma mudança radical de atitude.
Jesus termina sua advertência à igreja de Éfeso assim:
Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas (substitua por seu nome). Ao vencedor darei o direito de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus (para morar com Cristo na eternidade precisa voltar a viver o amor fraternal)”.
Conclusão
1.   Você se lembra do dia em que você entregou sua vida ao Senhor Jesus? Como foi?
2.   Em que sua vida mudou depois desse dia?
3.   Faz quanto tempo que você viveu essa experiência? O que mudou de lá para cá?

Agora, curve sua cabeça, feche seus olhos e reflita sobre sua vida e sobre o convite de Jesus ao arrependimento.
O que Jesus lhe disse hoje?
Qual a sua decisão a partir de hoje?

vamos orar?

quinta-feira, 14 de março de 2013

Cuidando das Emoções

"Aqueles que sobreviveram ao cativeiro e estão lá na província passam por grande sofrimento e humilhação. O muro de Jerusalém foi derrubado, e suas portas foram destruídas pelo fogo" Neemias 1.3 (NVI).

Neemias era um judeu que vivia na Babilônia na época em que Judá fora levado cativo. Neemias era copeiro do rei de Susã e seu cargo era de extrema confiança, visto que era de sua responsabilidade experimentar os alimentos antes do rei.

Certo dia, alguns compatriotas de Neemias foram até Susã e este quis saber como andava a terra de seus pais. Para sua tristeza soube que seu povo estava sofrendo muito e sendo humilhado, pois o muro da cidade havia sido derrubado e as portas, queimadas.

Minha intenção neste texto não é a de contar a história de Neemias, mas sim tomar como base este acontecimento para falar sobre suas emoções, querido leitor.

Ao estudar este texto, Deus ministrou ao meu coração sobre esses muros e essas portas. Os muros representam proteção ao redor. Já as portas são locais de entrada. Jerusalém estava sem proteção e isto facilitava a entrada de todo o tipo de gente, principalmente os mal intencionados.

Assim como Jerusalém, você precisa ter um muro alto, bem fundamentado, e portas seguras, com fechadura, ao redor de sua alma. Os muros serão seus mecanismos de defesa para que esteja protegido de pessoas má intencionadas. E as portas servirão para que você tenha o controle de suas emoções; a decisão do que entra e sai deve ser sua e não de outrem.

Quando estamos desprotegidos somos facilmente atacados. Qualquer tipo de comentário sobre nós nos faz perder a estabilidade emocional. Vivemos em constante desequilíbrio e isto nos faz adoecer. E toda doença na alma atinge nosso espírito e nosso físico. Por isso é tão importante que os muros sejam levantados e as portas sejam recolocadas.

O diabo é muito ardiloso e seu plano para você é de total destruição. Quando estamos em desequilíbrio e desprotegidos emocionalmente, seu plano maligno é mais eficaz. Você não pode ter suas emoções controladas por outras pessoas. Somos provocados todos os dias por pessoas diferentes, mas quando cedemos a essas provocações e reagimos, estamos mostrando aos outros que eles têm as chaves de nossas portas e, portanto, o controle de nossas emoções são deles.

Perceba que na cidade havia muros e portas. O que isto quer dizer?

Você precisa estar protegido, mas não isolado, pois se isto acontecer estaremos fadados à derrota, pois nossas emoções nos dominarão, e este é um outro extremo. Você precisa ter portas emocionais devidamente preparadas e seguras, mas, ao relacionar-se precisa, gradativamente, seguir abrindo algumas delas para que novas possibilidades benéficas entrem em sua alma. Isto traz saúde e gera crescimento.

Agora, se pessoas de sua convivência lhe fazem muito mal, tranque as portas de suas emoções para elas. Não permita que invadam seus sentimentos e baguncem sua vida, tirando todo seu equilíbrio emocional.

Só duas pessoas devem possuir as chaves de suas portas: Deus e você. Não entregue essas chaves a ninguém mais. Quando nossas chaves estão nas mãos de outras pessoas, tudo o que fazem ou deixam de fazer nos afetam profunda e intensamente, mudando nosso estado de espírito e nosso humor. Pensamos que controlar e manipular os outros é uma forma de benefício, porém isto mostra o quão presos e vulneráveis aos outros estamos. Somos seres únicos e independentes e ninguém pode controlar nossas emoções a não ser Deus e nós mesmos. Você não pode esperar que alguém faça você feliz ou complete você. A felicidade e a completude é de sua responsabilidade e para isto terá um longo caminho de restauração de muro e colocação de portas firmes e com fechadura ao redor de sua alma daqui para frente.

Deus quer você bem e saudável. Cuide-se!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Restaure as mãos para o serviço

"... Estava ali um homem cuja mão era atrofiada... Então (Jesus), olhou para todos os que estavam à sua volta e disse ao homem: "Estenda a mão". Ele a estendeu, e ela foi restaurada." Lucas 6.6,10 (NVI)

Este texto nos mostra o poder restaurador do Senhor Jesus na vida de um homem cuja mão era atrofiada.
Mãos representam serviço.
Talvez um dia você já serviu ao Senhor e às pessoas com mais diligência, mas devido a muitos problemas e atribuições problemas suas 'mãos' tenham ficado atrofiadas.
Tenho uma boa notícia para sua restauração: Obedecer e agir.
No versículo 8 do texto acima, Jesus dá ordens ao homem: "levante-se", "venha para o meio" e "estenda a mão". Para ele ser restaurado por Jesus precisou obedecer a estes comandos do Mestre.
Hoje (agora), Jesus lhe dá as mesmas ordens:
Levante-se da prostração em que você se encontra, saia do desânimo e do conformismo; reaja aos problemas da vida.
Venha para o meio da comunhão entre os irmãos. Ali é o lugar da cura.
Estenda a mão. Comece a trabalhar. Não espere que alguém lhe diga o que fazer. Volte a fazer o que fazia no passado e deixava você bastante feliz.
Faça isso e veja suas 'mãos' ganharem vida novamente. Não espere mais, comece agora. Jesus está voltando!


Pr. Josué Praça

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Por que Deus não agiu?


Quando Carlos Magno, rei dos francos, ouviu pela primeira vez a história da prisão e execução de Jesus, explodiu de raiva.  Segurando firmemente a espada e a chacoalhando na bainha, exclamou:  “Ah!  Seu eu estivesse ali.  Eu teria matado todos eles com as minhas legiões!”
Sorrimos diante da sincera lealdade de guerreiro de Carlos Magno, ou de Simão Pedro, que realmente desembainhou uma espada em defesa de Jesus.  Por trás dessa grande indignação repousa, porém, uma questão misteriosa, profundamente misteriosa.  Carlos Magno, afinal, não esteve presente no Getsêmani;  mesmo estando, não poderia ter ajudado.  Mas Deus Pai esteve ali;  este, porém, não ergueu um dedo em favor de seu Filho condenado.
Por que Deus não agiu...
 Quem quer que reflita sobre isso experimenta  uma certa dor de decepção.  O sofrimento teve início enquanto Jesus orava num bosque tranquilo e fresco, formado por oliveiras, com três de seus discípulos aguardando sonolentos do lado de fora.   Dentro do jardim, tudo parecia em paz; mas fora, as forças do próprio inferno estavam à solta.  Um discípulo tornara-se traidor;  Satanás estava à espreita, e um grande bando com espadas e porretes estava a caminho do Getsêmani.  “A minha alma está profundamente triste até à morte”, disse Jesus a seus três discípulos.  Embora tivesse o direito e o poder de enviar um exército  de anjos, Jesus não se defendeu.  Ele viera para viver num mundo de carne e osso, e morreria de acordo com as regras desse mundo. Em certo momento, ele caiu com o rosto em terra e orou para que houvesse alguma maneira, qualquer maneira, de escapar daquela situação,  o seu suor caía ao chão em grandes gotas, de sangue.
E Deus ficou calado...
Dois dias depois, veio a Ressurreição, com o estrondo como de um terremoto e um clarão como de um relâmpago!  Será que isso não devia ter justificado a ação de Deus e solucionado o problema da nossa decepção com ele de uma vez por todas...
A morte na Cruz, o acontecimento mais público da vida de Jesus, revela a enorme diferença entre um Deus que prova sua existência pelo poder e aquele que prova a sua existência pelo amor.  O apóstolo Paulo descansa sua fé no amor ilimitado de um Deus “que não poupou a seu próprio Filho, antes, por todos nós o entregou”.  O amor é mais persuasivo quando envolve sacrifício, e os evangelhos deixam claro que Jesus veio para morrer.  Em suas próprias palavras, “Ninguém tem maior amor do que este:   de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.”  De alguma forma, a felicidade eterna exigiu este momento de silêncio que nos causa perturbação.
Meu irmão, minha irmã, creia, Deus está agindo em sua vida, mesmo que você não entenda e, até certo ponto,  esteja  decepcionado com Ele.   Saiba de uma coisa:  O caminho pelo qual Deus está lhe conduzindo é repleto de amor e de cuidado por você.
Ainda que Ele esteja em silêncio.
Pense nisso!
 



Marcos Batista
Coordenador de Desenvolvimento Institucional
(21) 3203-1999 - (21) 3203-1963 - (21) 7840-6203
batistam@sbb.org.br
 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Viaje sob a Palavra de Jesus!

‎"Naquele dia, ao anoitecer, disse ele aos seus discípulos: 'vamos para o outro lado'" (Marcos 4.35).

Jesus convidou os discípulos a uma viagem: “Passemos para o outro lado”. Que outro lado é esse?


Gadara, onde havia o endemoninhado com uma legião de demônios que o atormentava.


Jesus entrou no barco e partiram. O início da viagem foi ótimo, mas logo surgiu, repentinamente, uma forte tempestade que quase os fez perecer.


Toda viagem geralmente começa bem. Algumas viagens da vida: estudo, emprego, namoro, casamento, VIDA ESPIRITUAL etc.
Todo começo é cheio de: Expectativas, Sonhos, Entusiasmo, afinal, agora tudo é novo e diferente. 


Lembra-se do primeiro dia de aula? do casamento? Do dia de sua conversão? 


Mesmo quando fazemos as coisas certinhas, corremos o risco de passar por dificuldades: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).


O fato de Deus estar na sua vida não significa que não haverá problemas na viagem.


A grande questão aqui foi que os discípulos estavam sob uma palavra de Jesus: "Passemos para o outro lado". Por estarem debaixo de uma palavra de Jesus, chegaram em Gadara sãos e salvos, mesmo enfrentando tempestade no meio do caminho.


O que importa na tua vida (estudo, casamento, ministério, vida cristã, emprego etc) é estar sob uma palavra de Jesus. Se foi Ele quem liberou a palavra para início desta caminhada, então continue. Talvez você esteja enfrentando problemas sérios, mas isto vai passar e você chegará no lugar que Ele tem para você e certamente realizará grandes coisas, como fez Jesus na vida do Gadareno.


Graça e paz!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Sabia que você pode transformar-se em Estátua de Sal?

"Mas a mulher de Ló olhou para trás e se transformou numa coluna [estátua] de sal" Gênesis 19.26

Seguindo a mesma linha de pensamento de minha postagem devocional anterior, quero lhe escrever sobre a mulher de Ló.

Relatei do possível apego de Ló à cidade de Sodoma, mas hoje darei um crédito a Ló. Quando percebeu que o negócio era sério e que Deus destruiria a cidade com todo rigor, seguiu viagem sem nem olhar para trás.

O mesmo não podemos dizer de sua esposa. Ela olhou para trás e transformou-se numa estátua de sal. O que ela fez de tão grave a ponto de sofrer tal castigo? Quem é que, vez ou outra, não olha para trás enquanto caminha? Sempre me fiz estas perguntas quando crianças. Confesso que quando seguia um caminho evitava olhar para trás com medo de virar estátua de sal, kkkkkk... criança tem cada ideia.

Leia o comentário de Matthew Henry:

"O pecado da mulher de Ló: Estando atrás dele, ela "olhou para trás". Isto parecia pouco, mas estamos certos, com base na sua punição, que foi um grande pecado, e enormemente pecaminoso. 1. Ela desobedeceu a um mandamento expresso, e assim sendo, pecou de modo semelhante à transgressão de Adão, que trouxe a ruína a todos nós. 2. A incredulidade estava no fundo de sua atitude. Ela questionava se Sodoma seria destruída, e pensava que ainda poderia estar em segurança ali. 3. Ela olhou para trás, para os seus vizinhos, que ela tinha deixado para trás com mais preocupação do que era adequado, agora, que o dia de graça deles estava terminado, e a justiça divina se glorificava na destruição deles. 4. Provavelmente ela ansiava por sua casa e seus bens em Sodoma, e não desejava deixá-los. Cristo indica que este foi o pecado dela (Lc 17.31,32). Ela tinha uma excessiva consideração por suas coisas. 5. O fato de ela olhar para trás evidenciou uma tendência de voltar. E por isto o nosso Salvador usa a sua história como advertência contra a apostasia da nossa profissão da fé cristã. Todos nós renunciamos ao mundo e à carne, e voltamos os nossos rostos para o céu. Nós estamos na campina, na nossa experiência. E será um grande risco retornarmos aos interesses que professamos ter abandonado. Voltar é o caminho para a perdição, e olhar para trás contribui muito para ela. Temamos, pois, Hebreus 4.1." (Comentário Bíblico Antigo Testamento, Gênesis a Deuteronômio, Matthew Henry, Editora CPAD).


A mulher de Ló já havia saído de Sodoma, mas Sodoma ainda residia em seu coração.

Por nos amar, Deus tem nos arrancado dos embaraços e pecados da vida que sempre nos envolvem e nos atrapalham na caminhada (Leia Hb 12). E nós, muitas vezes queremos voltar ao lugar de sofrimento porque nos apegamos a ele. Por isso é tão difícil uma pessoa sair de um relacionamento ilícito, das drogas, de uma violência doméstica, da prostituição, da pornografia etc.

Isto tem sido a Sodoma de muitas pessoas, pois é o lugar onde oferece conforto, alguns prazeres, aparente segurança e familiaridade. Mas tudo isto é ilusão. Ló, apesar de ter hesitado, chegou à conclusão de que Sodoma não era um bom lugar. Já sua mulher não teve esta certeza. Desejou voltar. Ver a destruição de Sodoma causou dores profundas em seu coração, pois estava sendo destruído tudo o que ela amava. Por que viver se a razão de sua existência fora destruída?

Da mesma forma morremos no percurso da caminhada espiritual porque nos familiarizamos com o pecado. Olhamos para ele como se fosse algo bom e pensamos: "Isto não pode ser destrutivo como dizem". Não se esqueçam, o lobo vem travestido de ovelha. Não poupe o lobo... ele tem de ser exterminado para que as ovelhas sejam salvas.

Não olhe para o mundo que ficou atrás de você. Não deseje voltar às antigas práticas. Não fique com seu coração pesaroso por ver o mal sair de sua vida. Vai doer um pouco porque estava entranhado em você, mas essa dor será curada pelo bálsamo dAquele que arrancou Sodoma de você. Não permita transformar-se em uma estátua em sua vida espiritual.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Um pouco mais da minha história


Por pura misericórdia do Senhor, a Igreja Cristã Antioquia em Guadalupe tem recebido enormes bênçãos desde o nascedouro.

Desde o ventre de minha mãe fui consagrado para o Senhor e, desde criança minha vida foi dentro da igreja. Cresci conhecedor da importância da Escola Bíblica e tornei-me, desde a tenra idade, um dos alunos mais aplicados. Meus pais exerciam cargos de liderança na igreja até que, finalmente meu pai chegou a tornar-se pastor. 

Nunca fui perfeito. Vivi momentos angustiantes, conflitos esmagadores, desejos de estar no mundo, houve até um período em que fiquei em cima do muro, mas, sempre tive muito prazer em realizar as atividades na igreja e tudo o que fazia era sempre com muita intensidade. Com o passar dos anos fui adquirindo grandes responsabilidades na Casa de Deus e isto gerava um sentimento ruim nas pessoas que estavam ao meu lado. Não quero falar sobre isto, até porque já passou e não tenho mágoas, mas, por conta das competições tolas, das falsas acusações, das perseguições e das humilhações, perdi a alegria de estar naquela Casa de adoração.

Em 2005 entrei no Seminário Teológico, conheci um grande amigo, Davi (hoje, pastor da Antioquia em Copa), o qual me apresentou ao Pr Eugênio em um culto ao ar livre no Largo da Carioca. Tornei-me presença confirmadíssima nesses cultos no Centro do Rio e toda sexta-feira pedia liberação no meu trabalho às 15h para estar com meus irmãos. Eu esperava a semana toda pela sexta. Nunca antes havia tido a oportunidade de ministrar a Palavra e sempre pensei que não havia nascido para isto. Mas desde a primeira vez que o Pr Eugênio deu-me oportunidade de ministrar uma Palavra no segundo culto ao ar livre em que participei, nunca mais parei. Mesmo quando não queria, o Pastor me dava a oportunidade. Isto levava-me a preparar-me no que diria.

Num determinado feriado eu e Mauri (hoje, pastor auxiliar em Guadalupe), juntamente com sua esposa e suas filhas, fomos conhecer a Antioquia. Que culto maravilhoso!!!!!!! Apaixonei-me pela Antioquia e Deus disse que lá seria o meu lugar de adoração.

Quando saí da Assembleia de Deus, igreja da qual fui membro desde o dia em que nasci, Deus me levou a uma igreja tão cheia do Espírito, tão abençoada, tão vibrante e apaixonante que não vi esforços para estar em todos os cultos em Copacabana. Sempre amei a Antioquia em Copacabana desde o primeiro dia em que pus os pés lá. Deus falou comigo ali como nunca antes havia falado em lugar algum. Senti-me numa parte do céu. Como chorei de emoção... como senti a presença de Deus naquela igreja tão pequena, porém tão abençoada. Abri mão da minha vida ministerial na Assembleia de Deus para ser uma ovelha em um lugar tão distante chamado Copacabana, o coração do Rio.

Mas Deus tinha mais para mim e para a Antioquia. Pr Davi queria abrir uma Antioquia em outro lugar... jamais cogitamos a possibilidade de ser Guadalupe, até que Deus assim o fez. Ele disse ao meu coração: "Vou exaltá-lo no lugar de sua vergonha". Como chorei. Não precisava de nada disso, mas Ele quis fazer. Começamos a sonhar com a igreja em Guadalupe.

Lembro-me como hoje o dia em que inauguramos esta igreja no terraço de minha casa. Isto já faz 5 anos e minha memória ainda revive os primeiros momentos com a mesma vibração. Todos os que me conheciam diziam que era loucura, que não daria certo, que Guadalupe não precisava de mais uma igreja, que a Antioquia estava fadada ao fracasso e tantas outras palavras maldizentes e incrédulas.

O tempo foi passando e mais pessoas foram-se chegando a nós. Uns surgiram de maneira tímida, receosos em entrar numa canoa furada. Mas o certo é que dez meses após o início, recebemos de Deus a bênção de poder alugar o salão onde estamos estabelecidos até o momento. O lugar, apesar de pequeno, parecia enorme para as poucas ovelhas da Antioquia, menos de dez.

Na ocasião eu trabalhava secularmente e usei minhas férias de 1 semana para realizar a obra no salão da Rua General Salgado dos Santos. Foram dias maravilhosos. Quanta alegria em nossos corações, pois aquele seria a realização de um sonho. Lembro-me que o (hoje) Pr Davi passou seu aniversário trabalhando e compramos um bolinho surpresa pra ele, dia 25 de julho de 2007. Contamos com a preparada equipe da Antioquia do Vidigal com o apoio na reforma e no dia 28 de julho de 2007 a Igreja Cristã Antioquia em Guadalupe deixou de ser um sonho para se tornar realidade. Poucos minutos antes de o culto iniciar ainda estávamos pintando o chão. Eu e Pr Davi completamente cheios de tinta grudada pelo corpo. Saímos correndo para nos arrumar e voltamos ainda cheios de tinta, mas transbordando de muita alegria.

Que noite abençoada! Um mover sobrenatural do Espírito Santo. E, naquela mesma noite, mais alguns irmãos foram acrescentados ao rebanho.

E o tempo foi passando, e o Senhor foi nos dando graça. Muitas lutas, muitas dificuldades, muito sofrimento.

No meio de toda essa situação, Deus me chamou para o ministério pastoral. Pediu a mim para abrir mão da minha vida profissional, dos meus sonhos pessoais, dos meus planos para o futuro para poder viver o que Ele tinha para mim. Confesso que este foi o momento mais difícil de minha vida. Não estava preparado para isto. Não queria ser pastor. Não queria abrir mão de mim mesmo. Mas não pude dizer não a quem havia feito tudo por mim. Deus colocou um amor muito grande no meu coração pelo ministério pastoral e se eu não aceitasse, certamente não seria plenamente feliz.

Então, no dia 09 de agosto de 2009 fui ordenado ao ministério pastoral. A partir desse momento, mais sofrimento, mais afronta... pastor jovem? pastor solteiro? muitas pessoas se opuseram àquilo que Deus estava fazendo. Chorei muito, mas era um plano de Deus.

O tempo foi passando e Deus foi me dando graça para suportar as pedradas... foi-me dando sabedoria e mais amor pelas vidas.

Nessa época já deveríamos ter quase trinta membros. Já era um crescimento absurdo, pois iniciamos com apenas algumas pessoas.

No ano seguinte, em abril de 2010, recebemos de Deus um enorme presente: nosso terreno de quase mil metros quadrados. Este foi ganhado de maneira sobrenatural porque uma palavra de fé foi liberada e um coração sensível ouviu a voz do Espírito. O vigor da igreja mudou. Passamos a ser vistos com outros olhos. Ganhamos um pouco mais de notoriedade e respeito. 

E passou mais um tempo até que Deus levou até mim um grande presente, minha futura esposa, Josi. Aquela que já é minha ajudadora. E, depois de ela entrar na minha vida, as coisas melhoraram ainda mais.

E a igreja foi crescendo... Deus foi me dando líderes idôneos, verdadeiros ajudadores. Amigos que posso contar em todos os momentos.

Para encurtar a história, no início deste ano, foi profetizado pelo Pr Mardiel Santana que 2012 seria o ano da Antioquia. Este ano já é especial para a denominação, pois é o ano de nosso Jubileu de Prata. A Antioquia completa 25 anos de comprometimento com a Palavra de Deus. Como se não bastasse isto, o Senhor tem acrescentado muitas outras pessoas à família Antioquia.

Mês passado pudemos iniciar a obra nos fundos do nosso terreno para realizarmos cultos no prédio que ali existe. Não tem sido fácil, pois ainda não possuímos recursos para esta finalidade, mas Deus tem usado os irmãos e até mesmo pessoas de fora (como sempre o faz) para nos ajudar.

E o melhor é que a igreja tem estado muito vibrante e feliz. Nos domingos já não há mais cadeiras para as pessoas sentarem. Os cultos têm sido lotados e sempre há visitantes. De um tempo para cá, todo domingo pessoas aceitam Jesus. Hoje somos quase 100 pessoas como membros da Antioquia e tudo isto é para glória de Jesus. A maioria desses pessoas foram marcadas com histórias de dores e sofrimentos e o Senhor tem usado a Antioquia para amar cada uma dessas pessoas. Por isto temos conquistado cada vez mais vidas. E este é o maior patrimônio que temos, as vidas.

Orem por nós... Sei que estamos no começo de grandes bênçãos. Daqui a pouco não caberemos mais onde estamos e precisaremos construir nosso templo. Orem para que Deus envie recursos abundantes. No momento estamos com um grande desafio para terminar a obra iniciada em nosso terreno. Para o término da reforma do pequeno prédio na parte traseira precisamos de uma quantia aproximada de 5 mil reais. E para a reforma da estrutura da parte traseira (local maior de onde estamos) precisaremos de aproximadamente 30 mil reais.

Não tenho dúvidas de que Deus nos dará esses recursos e muito mais. Por isto conto com sua oração.

Conheça um pouco mais da nossa história:








terça-feira, 19 de junho de 2012

Cuidado! Sodoma não é o seu lugar!

"Ao raiar do dia, os anjos insistiam com Ló, dizendo: 'Depressa! leve daqui sua mulher e suas filhas, ou vocês também serão mortos quando a cidade for castigada'. Tendo ele (Ló) hesitado, os homens o agarraram pela mão, como também a mulher e as filhas, e os tiraram dali à força e os deixaram fora da cidade, porque o Senhor teve misericórdia deles" (Gênesis 19.15,16).

Faz muito tempo que não escrevo uma palavra para devocional. Hoje separei um tempo para dedicar-me a isto e enquanto olhava as atualizações do meu Facebook li e compartilhei uma frase de autor desconhecido a qual falava sobre escolhas e passado. Ao analisá-la, imediatamente lembrei-me de Ló.

Ló vivia em Sodoma, juntamente com a mulher suas duas filhas. Sodoma era uma cidade terrível, onde o pecado era praticado com muita naturalidade. A prática homossexual predominava naquele lugar e isto aborrecia tanto a Deus que decidiu destruir a cidade.

Por ser Ló um homem justo e temente ao Senhor, Deus enviou dois anjos a ele para poupá-lo, juntamente com sua família, da destruição vindoura.

Os homens daquele lugar eram tão promíscuos e maldosos que ao virem os dois anjos entrarem na casa de Ló, arderam-se de paixões e desejos por eles e aglomeraram-se à porta da casa de Ló gritando para que liberassem os 'homens' para que tivessem relações com eles. Imagine só a cena!

O papel desses anjos mensageiros era destruir a cidade, mas, antes, preservar a vida da família de Ló. O que me impressiona bastante foi o que aconteceu a seguir. Ló não queria sair de Sodoma. Ele só saiu porque os anjos o agarraram juntamente com sua família e os tiraram dali à força.

Fiquei pensando: Por que Ló teve de ser tirado à força de um lugar tão terrível como Sodoma? Por que ele simplesmente não decidiu sair com alegria de Sodoma?

A questão é que Ló já estava acostumado e familiarizado com aquele lugar. Talvez o pecado não lhe causasse espanto. Se tiver oportunidade, leia todo o relato desta história. Para aplacar a fúria dos homens da cidade, Ló decidiu, sem titubear, oferecer suas duas filhas virgens para que pudessem ter relações sexuais com elas. Que loucura!! Certamente os homens fariam atrocidades com elas e as matariam. Agora me responda: Que pai em sã consciência faria isto? Qualquer pai (normal) de família certamente iria à luta em defesa dos seus. A única explicação para um ato insano como este é que o pecado já não era visto por Ló como algo tão repulsivo e como Deus conhecia o coração de Ló, decidiu tirá-lo de Sodoma, antes que fosse tarde demais.

Sabe o que mais me assusta? Somos como Ló. O pecado vai chegando em nossa casa/vida sorrateiramente. Primeiro ele bate em nosso portão, atendemos e, no primeiro momento, rejeitamos. Com o passar do tempo ele torna a bater. Sua conversa parece agradável e lhe damos atenção. Depois disto, permitimos que entre em nosso quintal e quando menos percebermos, ele está em nossa sala de estar, no nosso banheiro, na cozinha, dormindo ao nosso lado. A Bíblia diz que o diabo é um lobo que usa um disfarce de ovelha. O pecado não vai se apresentar a você como algo danoso. Pensar assim é subestimar o diabo. O diabo não é tão bobo assim. Ele vai apresentar a você a melhor bandeja. Vai lhe oferecer coisas que façam seus olhos vibrarem e sua boca salivar. Lembra-se de sua estratégia com o primeiro casal no Éden? Pois é, ele continua a agir da mesma maneira.

Ló teve de ser arrancado de Sodoma para não morrer.

Você precisa ser arrancado da vida errante que tem levado para que sobreviva. Não se engane... você não pode romper vagarosamente com o pecado... tem de ser um rompimento radical, caso contrário, ficará preso ao engano de satanás e porá sua vida em risco para sempre.

Deixe-se ser tirado à força de Sodoma... ela será destruída.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Não se esqueça

"Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios." Salmo 103.2 (ARC)

O autor deste salmo é Davi, um dos homens mais abastados da Bíblia, o principal rei em Israel e por estas razões teria motivos de sobra para ser grato a Deus, não é?

Então por que será que Davi diz a si próprio que não pode se esquecer das bênçãos do Senhor?

Simples, porque, assim como você, Davi era humano. Todo ser humano tem a tendência de esquecer-se facilmente de favores obtidos. Às vezes passamos anos orando por uma questão e quando a solução chega, rapidamente nos esquecemos do que ganamos e de Quem nos deu.

Davi disse à sua alma para não se esquecer, pois não poderia ser ingrato a Quem sempre lhe deu abundantemente mais do que pode imaginar.

E Davi foi muito próspero pois sabia quem era, alguém com falhas e sujeito a erros, como a ingratidão, e sabia quem era Deus, o provedor de toda sua riqueza.

Para que sejamos sempre abençoados temos de ter um coração grato e quem tem um coração assim não reclama em hipótese alguma. Precisamos também valorizar as pequenas coisas e enxergá-las como bênçãos de Deus e, por último, temos de lembrar a nós mesmos constantemente de que Deus é o verdadeiro responsável por cada benefício que recebemos.

quinta-feira, 22 de março de 2012

O que a Bíblia diz sobre o dízimo?

Qual o princípio bíblico do dízimo?

O princípio bíblico do dízimo está no Éden, ou seja, é um princípio de obediência.
Deus disse a Adão: "Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá" (Gn 2.16,17).
Conhecemos muito bem esta história e sabemos como termina. Adão não obedeceu ao Senhor e foi expulso do paraíso.
Temos recebido do Senhor 100% e Ele exige que devolvamos apenas 10% e não temos coragem de obedecer ao que ordenou.
"Foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei" (Mt 25.23)."Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito" (Lc 16.10).

Qual a origem do dízimo?

A origem do dízimo, contrariando o que muitos pensam, é em Abraão e não na lei.
Quando Abraão (ainda chamado de Abrão) derrotou os sequestradores de seu sobrinho Ló, tomou os despojos e deu o dízimo a Melquisedeque, rei de Salém (Leia Gn 14.17-24).
Melquisedeque era rei e, certamente, não havia necessidade de nada, mas Abraão deu o dízimo a ele mesmo assim, pois reconheceu a autoridade de Melquisedeque sobre ele. Melquisedeque era uma figura de Jesus, logo, Abraão estava oferecendo o dízimo ao próprio Senhor (Leia o capítulo 7 de Hebreus para ter um entendimento melhor sobre esta afirmativa).
O dízimo é reconhecimento de que há alguém superior a nós a quem devemos conta até de nossas finanças.
"Este ato de Abraão ao "dar o dízimo" a Melquisedeque deu lugar mais tarde a um extenso comentário do autor da Epístola de Hebreus, no Novo Testamento. Por exemplo: 'Considerai, pois, como era grande esse (Melquisedeque) a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo, tirado dos melhores despojos!' O escritor continuou comentando que o sacerdócio do cananeu Melquisedeque deveria ser, então, considerado superior ao sacerdócio levítico do povo judeu, com base no fato de 'Levi... pagou-os (os dízimos a Melquisedeque) na pessoa de Abraão. Porque aquele (Levi) ainda não tinha sido gerado por seu pai, quando Melquisedeque saiu ao encontro deste (Abraão)' (Hb 7.4-10)." - Extraído do livro "O fator Melquisedeque", ed. CPAD.

Por que 10 por cento?

Porque a palavra 'dízimo' quer dizer 'a décima parte' ou seja 'dez por cento'.

Por que devo dar o dízimo?

Para obedecer à Palavra. Existem cristãos negligenciando esta parte das Escrituras. Alguns não têm coragem de dar o seu dízimo, acham que é um valor alto. Outros pensam que podem fazer do seu dízimo o que querem. Segundo a Bíblia, o dízimo não é de propriedade do cristão, é de Deus. Ele deve ser "devolvido" à "Casa do Tesouro" para ser administrado pelos líderes espirituais que Deus tem posto nessa Casa. "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa" (Ml 3.10). Já disseram certa vez: "O dinheiro de Deus está no bolso do cristão", o que considero uma grande verdade, mas há muitos 'cristãos' interessados apenas em suas próprias vidas e esquecem-se de suas responsabilidades na casa do Senhor e, por conta disto, a obra de Jesus segue capengando. Se você não se comprometer com o dízimo, faltará alimento na casa do Senhor. Sua responsabilidade é grande.
Não existe meio obediente. Se você obedece em todas as outras ordenanças mas falha nesta, é desobediente. Como bem disse Tiago: "Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos" (Tg 2.10).
Você não pode fazer do seu dízimo o que bem entende. Ele tem de ser dado ao Senhor, assim como Abraão fez com Melquisedeque. Por isto a importância de você fazer parte de um ministério no qual confie.

O texto clássico no Antigo Testamento sobre o dízimo - Malaquias 3.6-12
"Porque eu, o Senhor, não mudo... vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. Todas as nações vos chamarão felizes, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos."

Aí você pode me dizer: Que isso pastor, esse texto foi para o povo de Israel. E eu digo, é verdade. Deus falou para Israel, mas os princípios de Deus, assim como o próprio Deus, são imutáveis. O princípio do dízimo foi estabelecido por Deus e permanece até nossos dias. Depois disso tudo você vai arriscar desobedecer?


O Novo Testamento fala sobre o dízimo?

É claro que sim!
Vamos a alguns textos:
"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os princípios mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas (justiça, misericórdia e fidelidade), sem omitir aquelas (o dízimo até das mínimas coisas)." (Mt 23.23 e Lc 11.42)
O texto é autoexplicativo, mas para não haver dúvida vou explicar mais uma vez:
O que Jesus quis ensinar aos religiosos foi que eles deveriam ser tão criteriosos e obedientes ao Senhor no amor ao próximo o quanto eram no mandamento do dízimo. Jesus não criticou o dízimo, criticou a atitude dos fariseus que obedeciam apenas em uma parte. Jesus disse que eles faziam o certo ao darem o dízimo até das menores coisas, mas que não poderiam deixar de praticar o amor ao próximo.
Vamos ver o que Jesus disse em outro texto:
Mateus 5.20: "Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus".
Com esta forte declaração de Jesus entendemos que tudo (incluindo o dízimo, pois eram muito fieis a isto) o que os fariseus e os mestres da lei faziam era um pontapé inicial de uma vida cristã. Jesus está nos ensinando que até dízimo tem que ser excedido.
Certamente você conhece a marca "Colgate", mas talvez não saiba que o fundador da marca, William Colgate, era um cristão genuíno que fez fortuna e começou devolvendo ao Senhor o dízimo e terminou sua vida vivendo apenas com 10 por cento, pois os 90 restantes eram dados ao Senhor. Sua atitude obediente fez com que a Palavra do Senhor fosse difundida com maior velocidade. Que legado ele deixou! Você também pode fazer isto, basta obedecer. Ouça sua história: http://www.youtube.com/watch?v=-hWgg1vUhoY

Mais sobre o dízimo no Novo Testamento:
Hb 7.1-9 - "Porque este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que saiu ao encontro de Abraão, quando voltava da matança dos reis, e o abençoou, para o qual também Abraão separou o dízimo de tudo (primeiramente se interpreta rei de justiça depois também é rei de Salém, ou seja, rei de paz; sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote perpetuamente.Considerai, pois, como era grande esse a quem Abraão, o patriarca, pagou o dízimo tirado dos melhores despojos. Ora, os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm mandamento de recolher, de acordo com a lei, os dízimos do povo, ou seja, dos seus irmãos, embora tenham estes descendido de Abraão; entretanto, aquele cuja genealogia não se inclui entre eles recebeu dízimos de Abraão e abençoou o que tinha as promessas... Aliás, aqui são homens mortais os que recebem dízimos, porém ali, aquele de quem se testifica que vive."

1Coríntios 9.13,14 - "Vocês não sabem que aqueles que trabalham no templo alimentam-se das coisas do templo, e os que servem diante do altar participam do que é oferecido do altar? Da mesma forma, o Senhor ORDENOU àqueles que pregam o evangelho, que vivam do evangelho."

Neste texto o Apóstolo Paulo está fazendo uma referência aos levitas. Uma tribo que foi totalmente separada ao Senhor e por causa disto não teve o direito a uma porção de terra. O Senhor queria que os levitas se dedicassem exclusivamente na manutenção de Sua casa, por isso não poderiam ter trabalhos seculares. Paulo está lembrando aos crentes de Corinto que da mesma forma que os levitas se alimentavam do dízimo, os pastores, como ele, deveriam alimentar-se do dízimo dos fieis, ou seja, Paulo está incentivando a igreja a obedecer à ORDEM de Deus em dar o dízimo.

Hoje em dia as pessoas têm valorizado os pastores doutores, os que têm empregos importantes etc. Mas o que o Senhor ORDENOU é que os pastores devem viver do Evangelho, ou seja, devem, assim como os levitas, se dedicarem no serviço da igreja e precisam ser valorizados por isto. Porque os cristãos foram negligentes nos dízimos, Paulo teve de trabalhar, mas esta nunca foi a vontade perfeita de Deus.

Por que não há um ensino mais contundente sobre dízimo no Novo Testamento?

Porque os discípulos de Jesus e a igreja primitiva davam muito além do dízimo. Davam tudo o que possuíam para que os apóstolos administrassem: "Não havia pois entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos" (At 4.34).

Há a diferença entre oferta e dízimo?

Com certeza há diferença. Já falei sobre o dízimo e sua importância na vida cristã. Agora falarei um pouco sobre a oferta.
Primeiro, a oferta NÃO É sobra.
Já ouvi alguém certa vez ensinar aos filhos o seguinte: "Nós só damos oferta quando sobra alguma moedinha em nossos bolsos".
Misericórdia!! Esta pessoa não entendeu nada o que a pobre viúva de Marcos 12.41-44 fez:
"Jesus sentou-se em frente do lugar onde eram colocadas as contribuições, e observava a multidão colocando o dinheiro nas caixas de ofertas. Muitos ricos lançavam ali grandes quantias. Então, uma viúva pobre chegou-se e colocou duas pequeninas moedas de cobre, de muito pouco valor. Chamando a si os seus discípulos, Jesus declarou: 'Afirmo-lhes que esta viúva pobre colocou na caixa de ofertas mais do que todos os outros. Todos deram do que lhes sobrava; mas ela, na sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver".

Esta mulher entendeu o que é oferta. O interessante da história é que Jesus sentou-se, propositadamente, em frente à caixa de ofertas somente para ver quanto as pessoas davam. Talvez por conta disto é que os ricos deram muito (risos) e sentiam-se orgulhosos por isto. Mas eles não fizeram nada demais, pois era sobra diante da grande fortuna que possuíam.
Quem fez toda a diferença foi a pobre viúva que deu TUDO o que possuía para o seu sustento. Ela sabia que daria e não teria mais nada para viver. Por que ela fez isto? Porque ela entendeu que oferta é ADORAÇÃO! Ela quis adorar a Jesus com tudo o que possuía, assim como fez Maria ao derramar sobre os pés de Jesus um perfume caríssimo (Cf. João 12).
Jesus não está preocupado com a quantidade e sim com a qualidade de sua oferta. A mulher deu na sua pobreza. Isto ensina que todos, até os pobres, podem e devem ofertar ao Senhor. Não do que sobra, mas do que é sacrificial.
O conceito de oferta, na Bíblia, está ligado ao que é sacrificial.
Vamos ao texto de 2Samuel 24.22-24: "Araúna disse a Davi: 'O meu senhor e rei pode ficar com o que desejar e oferecê-lo em sacrifício. Aqui estão os bois para o holocausto, e o debulhador e o jugo dos bois para a lenha. Ó rei, eu dou tudo isso a ti'. E acrescentou: 'Que o Senhor, o teu Deus, aceite a tua oferta'. Mas o rei respondeu a Araúna: 'Não! Faço questão de pagar o preço justo. Não oferecerei ao Senhor, o meu Deus, holocaustos que não me custem nada', e comprou a eira e os bois por cinquenta peças de prata".
Davi entendia o que era oferta. Se aceitasse o que Araúna lhe oferecia, a oferta não seria de Davi e sim de Araúna. Davi queria ter o privilégio de doar ao Senhor e não queria que ninguém o impedisse de ofertar. Por isto foi tão abençoado.
Provérbios 3.9,10 diz: "Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho."

Vejamos o que Paulo fala sobre oferta: 2Co 8.1-7
"Agora, irmãos, queremos que vocês tomem conhecimento da graça que Deus concedeu às igrejas da Macedônia. No meio da mais severa tribulação, a grande alegria e a EXTREMA POBREZA deles transbordaram em rica generosidade. Pois dou testemunho de que eles deram tudo quanto podiam, e até além do que podiam. Por iniciativa própria eles nos suplicaram insistentemente o PRIVILÉGIO de participar da assistência aos santos. E não somente fizeram o que esperávamos, mas entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus... Todavia, assim como vocês se destacam em tudo: na fé, na palavra, no conhecimento, na dedicação completa e no amor que vocês têm por nós, destaquem-se também nesse privilégio de contribuir."


2Co 9.6-15: "Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama o que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra. Como está escrito: 'Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre'. Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus. O serviço ministerial que vocês estão realizando não está apenas suprindo as necessidades do povo de Deus, mas também transbordando em muitas expressões de gratidão a Deus. Por meio dessa prova de serviço ministerial, outros louvarão a Deus pela obediência que acompanha a confissão que vocês fazem do evangelho de Cristo e pela generosidade de vocês em compartilhar seus bens com eles e com todos os outros. E nas orações que fazem por vocês, eles estarão cheios de amor por vocês, por causa da insuperável graça que Deus tem dado a vocês. Graças a Deus por seu dom indescritível (o da contribuição generosa)."

O Apóstolo Paulo está falando especificamente sobre oferta. Ele diz que nossa oferta é semente. Se semeamos muito, colhemos muito.
Paulo faz uma observação importante aos mantenedores da obra. Ele diz que os que mantêm àqueles que vão levar a Palavra, são de igual modo abençoados, pois isto é um ministério.
Que texto lindo! Dá ainda mais vontade de contribuir ao Senhor para que Seu nome seja engrandecido e mais pessoas sejam alcançadas para a salvação.
Você que contribui é peça fundamental na propagação do Evangelho. Que este pequeno estudo possa abrir seus olhos para o importantíssimo papel que você tem diante da obra do Senhor Jesus.
Graça e Paz,
Pr Josué Praça
Igreja Cristã Antioquia em Guadalupe

quarta-feira, 14 de março de 2012

Levando Vida

Pela graça de Deus temos o privilégio de levar Jesus às crianças da Comunidade Deus é Vida através do Projeto Levando Vida, criado por nós da Igreja Cristã Antioquia em Guadalupe.

O Projeto é realizado todos os sábados a partir das 14h. No início havia cerca de 25 crianças. Hoje temos assistido aproximadamente 45 crianças para a glória de Jesus.

A programação se inicia com uma oração e em seguida cantamos e dançamos canções bíblicas com todas as crianças. Após isto, ministramos a Palavra em uma linguagem específica a crianças e, enquanto o lanche é preparado para servir, as crianças são convidadas a participarem de uma atividade relacionada à mensagem aprendida. Distribuímos o lanche e os despedimos.

É um trabalho lindo demais. Só indo para ver a alegria nos olhos das crianças.

Num desses sábados as crianças chegaram antes de mim. Assim que avistei na entrada da comunidade elas começaram a gritar "Pastor!!!" e vieram correndo me abraçar. Como fiquei emocionado. Amo essas crianças lindas que Jesus me deu.

Ainda estamos engatinhando. Não temos recursos e contamos com a ajuda de alguns poucos irmãos que têm se mobilizado a preparar os lanches e ministrar a Palavra. Somos carentes de tudo, mas, o que não nos falta é coragem e disponibilidade. Não esperamos ter condições para realizarmos esse projeto. Simplesmente nos colocamos sob a nuvem do Senhor e seguimos adiante.

Não tem sido fácil, mas é muito gratificante e recompensador.

Não queremos nada em troca, apenas que suas vidas sejam transformadas por Jesus. Fomos convidados pela presidente da associação de moradores da comunidade para abrirmos uma igreja ali. Eu disse que não queremos. Já há uma igreja evangélica na localidade, uma Assembleia de Deus, inclusive é ela que gentilmente nos cede espaço para realizarmos as programações, então, não há necessidade de outra igreja.

Peço que unam-se a nós em oração nesse projeto de amor. Orem para que o Senhor continue a nos dar graça, pois, como disse, não é fácil. Lidamos diretamente com filhos de pais violentos, usuários de drogas, ébrios, traficantes, abusadores, aproveitadores etc. O convívio com essas crianças nos permite entrar na intimidade de cada lar, pois elas repetem o que veem e dizem o que ocorre em seus lares. Por isto insisto: Orem por nós!

Deus os abençoe,

Pr Josué Praça




















terça-feira, 13 de março de 2012

De repente


"Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados." Atos 2.1,2 (NVI)


As bênçãos de Deus surgem repentinamente na vida daqueles que temem ao Senhor.


Os discípulos de Jesus receberam a promessa de que o Espírito Santo seria derramado sobre eles e após isto dariam continuidade a Seu ministério com muito poder.


O cumprimento desta promessa aconteceu no dia de Pentecoste quando estavam todos reunidos orando ao Pai. Eles creram que a promessa chegaria e começaram a clamar a Deus por ela.


Deus tem algo a realizar em sua vida, mas não fique de braços cruzados esperando. Assuma uma posição de oração e uma atitude de serviço ao Senhor para que aquilo que Deus tem para sua vida chegue.


Antes de Davi ser ungido rei ele estava no campo cuidando das ovelhas de seu pai, ou seja, fazendo seu serviço. DE REPENTE sua vida mudou e, de simples pastor, passou a ser rei de Israel.


Ore e trabalhe para Jesus e DE REPENTE você será surpreendido pelo Senhor e sua vida mudará para sempre.

Não ande só


“Elias teve medo e fugiu para salvar sua vida. Em Berseba de Judá ele deixou o seu servo (Eliseu) e entrou no deserto, caminhando um dia. Chegou a um pé de giesta, sentou-se debaixo dele e orou, pedindo a morte: 'Já tive o bastante, Senhor. Tira a minha vida; não sou melhor do que meus antepassados.'” 1 Reis 19.3,4 (NVI)


Provavelmente você já conhece esta história do grande profeta de Deus, Elias. Realizou milagres maravilhosos pelo nome do Senhor, mas quando foi confrontado por Jezabel, teve medo e fugiu para o deserto (leia os capítulos 18 e 19).

No trecho acima vemos uma situação triste na vida de Elias em que pede a morte. Chegou a pensar que havia vivido tudo o que o Senhor tinha para ele. Entrou em depressão (apesar de a Bíblia não citar esta palavra, Elias experimentou todos os sintomas de quem sofre desta doença).

Um dos motivos desta situação terrível encontra-se no versículo 3: “Em Berseba de Judá ele deixou o seu servo  e entrou no deserto.” Elias estava exausto, teve medo e foi para o deserto. Enfrentou dificuldades terríveis, sentimentos desagradáveis e sozinho. Não quis a companhia de seu servo amigo.

Quantas vezes nos amedrontamos diante de situações que fogem ao nosso controle e nos isolamos de tudo e todos.

Esta não é a melhor saída. Tenho certeza que se Eliseu estivesse ao lado de Elias, com certeza a história seria diferente. Ele o teria levantado com palavras motivadoras, o lembraria dos feitos notáveis realizados pelo Senhor através dele. Teria a visão correta da situação e do seu futuro com o Senhor.

Elias pediu a morte porque estava só. Sem apoio e sem visão de futuro quase sucumbiu. Mas o Senhor foi misericordioso, como sempre.

Não passe sozinho nesta. Compartilhe suas necessidades com pessoas espirituais e maduras para que possam ajudar você. Não carregue tudo isso só. Divida suas cargas com quem está disposto a ajudar você. Com certeza passará com um novo ânimo diante das adversidades da vida e sentirá o Senhor agindo por meio das pessoas que Ele colocar em seu caminho.

Jesus ama você e por isso está preocupado em mudar seus sentimentos errados com relação a este problema.